Saiba como ajudar o bebê a Sentar, Engatinhar e Andar


Saiba como ajudar o bebê não se preocupe, seu bebê é normal. Ainda que ele não sente, não engatinhe ou não ande na mesma época que as outras crianças da mesma idade. Ele só precisa de um tempinho para se desenvolver melhor e eu vou-te ensinar uns truques que ele vai se desenvolver tão bem, que você vai ficar com saudades de quando ele ficava quietinho no seu colinho. Normalmente, as crianças já conseguem segurar a cabecinha por volta dos 3 meses, mas se o seu bebê ainda não está segurando, você está sentindo que ele está assim mexendo um bocadinho demais do que devia, não se preocupe.

Ele tem até ao final dos 4 meses e isso ainda é normal. Você só tem de se preocupar se, além disso, ele é muito molinho como uma boneca de pano, sabe?

Saiba como ajudar o bebê

Saiba como ajudar o bebê


Quando você pegue ele no colo e ele ainda se meio que desmonta. Se você mostra um objeto para ele e ele ainda não acompanha com os olhos, ou se ele não coloca assim o pezinho na boca. Porque essas coisas vão indicar realmente se existe algum atraso, se está acontecendo alguma coisa que precisa ser vista pelo Pediatra. Alguns truques muito simples que você pode fazer para ajudar o seu filho a começar a segurar melhor o pescocinho é colocá-lo assim no seu colo, de pé, como aquela posição que a gente usa para pôr a criança para arrotar depois de ela comer, depois de ele mamar, sabe? Quanto mais a criança ficar em pé assim, no seu colo, mais ela vai ter que se esforçar para segurar a cabecinha. Se for preciso, você pode apoiar com uma mão atrás inicialmente, mas o importante é deixar com que ela consiga se desenvolver, e que ela consiga segurar mesmo o pescocinho nessa posição.

Se você ficar com medo, porque o pescocinho ainda é mesmo muito mole, você pode chegar a criança um pouquinho mais para baixo e a cabecinha dela vai estar apoiada aqui, na sua clavícula. E isso pode ajudar. Mas se você for vendo que ela já está segurando melhor, ok, vai chegando ela mais para cima. Uma outra coisa muito legal é colocar ela deitada, de barriga para baixo, numa posição que nós chamamos de Puppy.

Quando o bebê está deitado de barriga para baixo, ele precisa fazer muita força no pescoço para conseguir levantar a cabeça e é isso que a gente quer. Que ele faça essa força no pescoço. Com 5 meses, é esperado que o bebê consiga rolar. Quer dizer, ele está deitado de barriguinha para cima e, se eu colocar um brinquedo do lado, ele tem que virar.

Então, ele tem que rolar sobre o próprio corpo para virar de barriguinha para baixo. Mas não quer dizer que é igual para todas as crianças. Algumas viram antes, outras viram um pouquinho depois, e tudo isso é normal!

O que você pode fazer se o seu filho ainda não começou a rolar é: coloca ele de barriguinha para cima e coloca um brinquedo que ele goste, que imita algum som ou que seja bem colorido ao lado dele, e a tendência dele vai ser procurar o brinquedo. Então ele vai poder virar na direção do brinquedo. Você pode até dar uma ajudinha segurando assim na parte do quadril ou na coxa dele só para dar um estímulo.

Porque não é preciso muito. Quando está na fase certa, basta um pequeno estímulo para você conseguir fazer a criança fazer aquilo que você deseja.

Saiba como ajudar o bebê

O bebê com 6 meses, já é capaz de sentar, no entanto, é normal se até 7 meses, o final do 7º mês, ele ainda não estiver sentando muito bem sozinho. Mas tem muita coisa que você pode fazer para ajudá-lo. Você só tem que ficar de olho se além de ele não conseguir sentar, ele não segura muito bem o pescoço, se ele também não está rolando ainda e se ele tem a mãozinha sempre fechada.

Esse é um sinal que você tem que observar. Então, com 6 meses é normal o bebê sentar sozinho sem apoio, mas ele pode esperar até ao final do 7º mês e ainda não sentar muito bem, ele precisar realmente assim de umas almofadinhas à volta dele. Tudo isso é normal porque cada bebê tem o seu tempo e quanto mais estímulo o bebê tem, mais ele se desenvolve rapidamente.

Então, um bebê que fica deitadinho só no berço parece muito bonitinho. “Ai que fofinho, ele não dá trabalho nenhum…” – Não é tão bem assim. Por exemplo: Tem um exercício muito legal.

Você pode colocar o seu bebezinho deitado, de barriguinha para cima e você vai fazer uma espécie de abdominal com ele. Então você segura nas mãozinhas dele, segura bem no punho. É importante esse contato com o punho, e não só segurar nas mãozinhas, nos dedinhos. E você vai trazer o bebê na sua direção como se fosse mesmo um abdominal. E depois, passado um tempinho, você vai pousar o bebê no chão de novo. E depois você volta. Isso tem que ser uma brincadeira para ele, você tem que estar sorrindo, cantando, brincando, porque as crianças gostam disso e elas aprendem com essas coisas.

Outra coisa muito legal, que você consegue fazer fácil com ele em casa, se ele ainda não tem força no abdominal suficiente para conseguir sentar e ficar quietinho sem precisar de apoio e sem precisar de alguém ficar segurando nas costas ou ao lado é assim: colocar um almofada à volta do bebê. Esse tipo de almofada é muito legal porque uma almofada só é suficiente para contornar todo o bebê e, assim, se ele se desequilibrar não tem o risco de ele bater a cabecinha, que isso a gente não quer. Mas se você não tem esse tipo de almofada, pode usar o que você tiver. Qualquer almofada serve. É mesmo só para fazer um murinho de proteção para colocar à volta dele para não ter o risco de ele se machucar, se ele se desequilibrar e cair. Os bebês geralmente começam a engatinhar por volta dos 8 meses, mas alguns são muito precoces e começam antes.


Alguns podem chegar mesmo aprender a sentar, vira para o lado e começam logo a engatinhar. Que foi o que aconteceu com a minha filha, mas nem todos são assim. Não se desespere se até 8/9 meses ele ainda não estiver engatinhando. Até porque tem crianças que nem engatinham. Eles ficam só com as mãos no chão porque não querem colocar os joelhos, então eles vão caminhando meio desengonçados e daqui a pouco estão andando.

É tudo normal, você não tem que se preocupar. Você só precisa se preocupar se ele não senta na fase certa, se ele não segura o pescocinho na fase certa e essas outras coisas que eu já falei aqui. E também se, quando você coloca ele no chão, segurando nas mãozinhas e ele não consegue apoiar os pés no chão. Se ele não consegue em momento nenhum, e ele está sempre caindo, sabe? Se ele não consegue ficar firme no chão, isso pode indicar que ele não tem força suficiente nas pernas, então ele não vai ter força suficiente para conseguir engatinhar e a gente vai precisar fortalecer os músculos das pernas.

E tem algumas coisas fáceis para você ajudar o seu bebê. Você pode pegar o seu bebê no colo e ficar com ele para cima. Os bebês adoram ficar nessa posição e é um momento de diversão para eles. Isso vai ajudar a que ele fortaleça também o abdominal. Porque ele precisa de um abdominal forte para conseguir engatinhar. Outra coisa muito legal, que você pode fazer também é deixar, sempre que possível, o seu filho deitado de barriga pra baixo, porque assim ele precisa de força nos ombros, que é o que ele precisa para poder engatinhar. Então, você pode colocar um brinquedo à frente, por exemplo, e ficar chamando a atenção dele, para ver se ele vai até você. E quanto mais força ele tiver nas costas e no pescoço, isso vai fazer com que ele engatinhe mais rápido, mais fácil. Você pode também colocar um espelho, por exemplo, encostado na parede e deixar o seu filho tentar chegar até ele.


Quanto mais estímulo, quanto mais distante as coisas, (quer dizer, distantes mas não podem ser muito distantes ao ponto de ele não se interessar.) Tem de estar ao nível dos olhos dele, não na altura da mão dele, isso é que é importante. Então, ele vai se sentir atraído e o bebê vai querer chegar até lá. Eles deitam de barriga para baixo e fazem de conta que são uma foca. Porque eles querem se movimentar, mas não querem usar os braços, nem as pernas. Então eles ficam tentando fazer força. Isso é um ótimo sinal, isso quer dizer que ele está indo muito bem. Ele está fazendo força nas costas, no abdômen. Ele está tentando, ele sabe que precisa chegar lá e que ele precisa fazer alguma coisa para chegar onde ele quer.

Ele ainda não percebeu que é preciso usar os braços e as pernas. Se você ficar do lado dele e engatinhar… As crianças aprendem com aquilo que a gente faz. As crianças costumam andar quando estão perto de 1 ano, sabe? Na festa de aniversário é o orgulho dos pais, quando a criança já está dando os seus primeiros passinhos e vai em direção ao pai e à mãe, aos avós. Mas algumas crianças andam muito cedo, como aconteceu com a minha filha, que andou no dia em que completou 9 meses. (Deve ser uma questão de família porque o meu sobrinho também andou com 9 meses). Mas é normal, algumas crianças demoram um pouco mais. É normal às vezes chegar aos 15/18 meses e ainda não andar sozinho. Mas você tem que observar se ele não demonstra interesse em andar. Por exemplo, se ele fica encostado no sofá e não consegue ficar sozinho, porque não apoia bem o peso do corpo nas pernas; se quando você dá a mão para ele, ele é muito dependente, não mostra que quer dar os primeiros passos…

Filma, tira foto. Hoje em dia é muito fácil a gente falar com o Pediatra sobre aquilo que você acha que não está bem. As crianças que fazem 1 ano no verão, têm muito mais possibilidades de andar mais rápido, do que as crianças que nascem no inverno. Porque no Inverno a tendência é os pais não quererem colocar a criança no chão ou colocarem muito mais roupa. Isso tudo inibe um pouco o desenvolvimento da criança. Então, se for possível deixe a criança com menos roupa, deixe à vontade no chão, estimula ela, pega ela pela mão, vai andando com ela, dá uns passinhos, faça festa, bata palma. É isso que o seu filho precisa! Oh! Deixa eu falar uma coisa…

Esquece o andador! Se você comprou, ou se você ganhou de alguém, joga fora! Quem anda não é o bebê, são as rodinhas. E o que você precisa é que o seu filho ande com os próprios pés. Uma vez que ele está ali preso, ele não cai e levanta. E é ao cair e levantar que ela fortalece as pernas o suficiente para poder andar sozinho. E é isso que a gente quer. Outra coisa muito chata. Não coloque o seu filho preso num cercadinho. Pelo amor de Deus não faz isso com a criança. Ela precisa se desenvolver! A nível motor ela precisa desenvolver força nos braços, força nas pernas, nos abdominais e nas costas.


Não prenda a criança ali. Pode parecer muito tentador. “Ai o meu filho fica ali dentro. Fica ali o dia inteiro, não dá trabalho nenhum!” Não dá trabalho para você agora, mas vai te dar preocupação no futuro porque ele não foi devidamente estimulado. Então não caia nessa tentação. Não coloca a criança presa, por favor! As crianças começam a falar mesmo por volta dos 2 anos. No entanto, elas sempre imitem sons, basicamente desde que nasceram. Não estou a falar do choro, não é isso, mas elas balbuciam, elas falam muito “babá, ah, água” às vezes falam “mamá” e”papá”. É normal, e é esperado, só que com 2 anos ela tem que juntar pelo menos 2 palavrinhas.

Ela tem que ser capaz de dizer assim: “Mamá qué” ou então “Papá embora”. Mesmo que seja um dialeto, que você não perceba muito bem o que ela está querendo dizer, porque ela não fala a palavra correta, você tem que tentar perceber o que ela está tentando dizer. Se ele não disse nada ainda é porque ele pode ter um problema auditivo e ele pode fazer o teste da orelhinha, por exemplo.Você pode conversar com o pediatra, porque às vezes a criança não ouve muito bem. É pouco provável que ela não ouça nada e você só descubra isso aos 2 anos. Isso provavelmente não vai acontecer. Mas, se ela, por exemplo, só ouve de um ouvido, o outro tem uma percentagem muito menor, ela vai ter tendência a falar menos.

Então, o que você tem que fazer é conversar com ela.Você pode pegar num objeto qualquer e falar assim: “Olha brinquedo, brinquedo, fala bebê brinquedo”. É esse tipo de estímulo que ela precisa. Ou um livro, por exemplo, você pega um livro e começa a contar a história para o seu filho. Pode parecer bobagem, ele é muito pequeno, não está entendendo nada. Não, ele está ouvindo a sua voz e ele sabe que existem palavras. Esse tipo de estímulo é importante para ajudá-lo a falar e, daqui a pouco, ele vai estar um tagarela que você vai até pensar duas vezes se não era melhor quando ele não falava nada.


Então é assim: você não precisa ficar neurótico só porque o seu filho não está se desenvolvendo exatamente igual ao seu filho mais velho, ou ao priminho ou ao filho da vizinha. Cada criança é única e tem o seu próprio nível de desenvolvimento. Apesar de não ser muito comum, existe a possibilidade de ele ter uma imaturidade do sistema nervoso, ou de ele ter, até mesmo, alguma síndrome. E essas coisas, são o Pediatra que vai pedir exames e ele que vai chegar no diagnóstico e dizer o que você precisa fazer. Conselho meu: aproveita, brinca muito com o seu filho porque isso tudo passa muito rápido!.


Deixe um comentário

0 Comentários

Os comentários estão fechados.